MERCADO SÃO JOSÉ

SÍTIO DOS COQUEIROS era o nome original do terreno, onde se encontra localizado o MERCADO SÃO JOSÉ, no século XVI, pertencia ao casal, BELCHIOR ALVES CAMELO e sua mulher JOANA BEZERRA, que doaram aos Frades Capuchinhos da Igreja da Penha, escritura lavrada em 06 de Abril de 1655 e chamava-se Sítio dos Coqueiros.

RIBEIRA DO PEIXE - Com o crescimento da Cidade do Recife, na zona praeira, instalou-se o Largo da Ribeira do Peixe, na Vila dos Pescadores, onde os barcos de pesca ancoravam e vendiam seus produtos; como explica TADEU ROCHA, escritor da época, e ficava à margem do braço meridional do Capibaribe.

CONSTRUÇÃO DE PRÉDIOS - O Governador de Pernambuco, DOM TOMAZ JOSÉ DE MELO (1787/1798), escolheu, o Largo da Ribeira do Peixe, para construir "O MERCADO DA RIBEIRA DO PEIXE", composto de dois prédios no centro do terreno rodeado de telheiros, um grupo de barracos que vendiam peixes, carnes, frutas e verduras e que resistiu até a fundação do novo MERCADO PÚBLICO DE SÃO JOSÉ, uma homenagem ao Bairro.

RECLAMAÇÃO DOS PADRES - Com o melhoramento da área, os padres capuchinhos, proprietários das terras, reclamaram oficialmente ao Governo de Pernambuco em 06 de Novembro de 1789, protestando contra a instalação de um Mercado junto a Igreja.

BATALHA JURÍDICA - Em 1817, os Frades Capuchinhos da Igreja da Penha, entraram na justiça, reclamando seus direitos sobre a área, uma batalha jurídica, que durou próximo de 54 anos, envolvendo Governo de Pernambuco e Igreja Católica.    Solucionado pelo Imperador, declarando em favor da Província de Pernambuco, para construção do novo MERCADO PÚBLICO DE SÃO JOSÉ, afirmando: "ADMITINDO SEREM RÉGIAS AS TERRAS DA ÁREA, PARA USUFRUTO DO POVO".

NOVO TEMPO, NOVO MERCADO - Terminado a batalha jurídica com a Igreja, o Presidente da Província de Pernambuco, FRANCISCO FARIAS LEMOS em 1871, enviou ofício à CAMARA MUNICIPAL DO RECIFE, autorizando a construção do novo MERCADO PÚBLICO DE SÃO JOSÉ, para atender a população Recifense.

EDITAL PARA ARREMATAÇÃO - Em 29 de Novembro de 1871, o Presidente da Câmara Municipal do Recife, IGNÁCIO JOAQUIM DE SOUZA LEÃO, assinou e mandou publicar o edital para arrematação do novo MERCADO PÚBLICO DE SÃO JOSÉ, publicado no DIÁRIO DE PERNAMBUCO DE 04 a 29 de janeiro de 1872, contendo 07 artigos, e acompanhado do orçamento de 385:000$000.   O empresário, JOSÉ AUGUSTO DE ARAUJO, arrematou por 336:900$000, sendo o custo final da obra 390:315$136; 10% para o arrematante.

LOCALIZAÇÃO - O novo MERCADO PÚBLICO DE SÃO JOSÉ, está localizado no centro da praça, onde existia o MERCADO DA RIBEIRA DE SÃO JOSÉ, entre a Rua Pedro Afonso e o Pátio, em frente a Igreja Nossa Senhora da Penha, no bairro de São José - Recife, e que atualmente encontra-se situada na ZEPH (Zona Especial de Prevenção do Patrimônio Histórico e Cultural), conforme pesquisa no DPSH, URB-RECIFE.

1º. CENTENÁRIO DO MERCADO - Em 1975, o Mercado de São José, completou um Século. Foi comemorado com muita festa. O ambiente todo embandeirado de verde e amarelo; Missa Campal, distribuição de brindes com a criançada, um bolo de aniversário de 100 quilos - um quilo para cada ano - e terminou em rala pança com pança, no Club Vassourinha do Recife. Foram 12 horas de músicas variadas, executada por cantores e artistas populares. "Foi bom demais!"
      No próximo dia 07 de Setembro de 2003, o Mercado vai completar 128 anos de história, mantendo sua originalidade, imponência e beleza.   Tornou-se um centro preferencial de pesquisas universitárias do Brasil e do Mundo. Também é considerado o Símbolo da Arquitetura Moderna, erguida em metal-ferrro. A melhor faculdade popular do mundo, onde de tudo se aprende um pouco.
      Funciona como ponto de encontro de todas as classes sociais, e, é também um ponto de apoio ao micro-empresário, vindo de todas as partes do Brasil e do Mundo.
Historiador - Sinésio
Agosto/2003